Orgulho de ser italiano

Se tem uma coisa da qual os italianos se orgulham, esta é o design. Pensando bem, a moda, a gastronomia, o estilo… o made in Italy de um modo geral. Pois o estúdio UdA Architetti apresentou recentemente um projeto em que deixa este orgulho bem evidente: grande parte das peças são de grifes locais.

Sofá Candy da Arflex, poltronas 400 de Alvar Aalto para Artek, tapete Losanges III da Nanimarquina, lâmpada Potence da Vitra e cadeira de balanço da Le

Sofá Candy da Arflex, poltronas 400 de Alvar Aalto para Artek, tapete Losanges III da Nanimarquina, lâmpada Potence da Vitra e cadeira de balanço da Le

Um apartamento de 200 m² na parte antiga de Bari, no sul da Itália, ganhou uma sofisticação quase blasé, que não ostenta e até diverte. Com uma estética que mescla referências old-school (como os italianos amam) a uma modernidade minimalista. Cores, estampas, trabalhos artesanais são combinados a volumes clean e formas simples e o resultado é incrivelmente complementar.

Sala de jantar - mesa Container da Moooi, cadeiras Normal SP de Jean Prouvé para Vitra, lâmpadas Ray de Llot Llov, peça de cerâmica da Capodimonte

Sala de jantar – mesa Container da Moooi, cadeiras Normal SP de Jean Prouvé para Vitra, lâmpadas Ray de Llot Llov, peça de cerâmica da Capodimonte

Mesclar referências aparentemente opostas, por sinal, é o ponto forte do estúdio UdA, que busca sempre o inesperado, mas sem exagerar. “Neste processo destacamos as várias camadas de nossas experiências pessoais, que coincidem com os espaços em que vivemos, através do uso materiais e formas, como madeira, terracota, linho bordado ou estampado e crochê”. E para cumprir este objetivo, nada melhor que empregar no décor marcas locais, que contem esta história.

Estante da Montana, esculturas Arlequim e Colombina de Aldo Ciolli, coluna de cerâmica da Vietri, portas de correr de A.Marcante e A.Testa

Estante da Montana, esculturas Arlequim e Colombina de Aldo Ciolli, coluna de cerâmica da Vietri, portas de correr de A.Marcante e A.Testa

Entrada - detalhe

Entrada – detalhe

Detalhes do quarto principal

Detalhes do quarto principal

Móveis da Marcante–Testa, lâmpadas da Lampe Gras e da Finnsdottir, louça sanitária da Agape, Antonio Lupi e Galassia, espelhos da Hay & Ferm Living

Móveis da Marcante–Testa, lâmpadas da Lampe Gras e da Finnsdottir, louça sanitária da Agape, Antonio Lupi e Galassia, espelhos da Hay & Ferm Living

Banheiro - detalhe

Banheiro – detalhe

Cozinha - pia, bancada e armários desenhados por Marcante-Testa para Materiadesign, louças da Miniforms, lâmpadas Applique de Marseille de Le Corbusier

Cozinha – pia, bancada e armários desenhados por Marcante-Testa para Materiadesign, louças da Miniforms, lâmpadas Applique de Marseille de Le Corbusier

A planta do apartamento

A planta do apartamento

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Documentário inédito sobre Lina Bo Bardi

Lina Bo Bardi

Como parte das comemorações do centenário de nascimento da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi (1914-1992), o colégio Albert Sabin patrocina uma ação cultural que envolve oficinas, apresentações musicais e a exibição de um documentário inédito em homenagem à arquiteta nos jardins do Museu da Casa Brasileira, no próximo dia 25.

A programação começa às 14h30 e a projeção do documentário “Precise Poetry”, dirigido por Belinda Rukschcio, acontece às 19h15. O filme aborda vida e obra de Lina Bo Bardi por meio de entrevistas com amigos e colaboradoras, trazendo imagens de projetos criados por ela em São Paulo e Salvador, além de destacar seu legado para a arte e a arquitetura brasileiras.

Serviço:

Exibição do documentário “Precise Poetry”

Local: Museu da Casa Brasileira – Av. Faria Lima, 2.705, São Paulo

Data: 25 de outubro de 2014

Horário: 19h15

Fone: 11 3032-3727

mcb.org.br 

*Foto: Bob Wolfenson

 

Compartilhe:

Beleza à mesa

Vaso 5

As linhas arredondadas, o trabalho artesanal no vidro e o toque feminino resumem o estilo da designer norueguesa Kristine Five Melvær, de  30 anos. “Eu procure focar no potencial criativo dos objetos como um meio de criar conexões emocionais entre o objeto e o usuário”, define. Formada em design industrial e comunicação visual, ela já exibiu seu trabalho em Milão, Nova York, Los Angeles, Tóquio, Paris e Londres.

Vaso 1

Em parceria com a companhia especializada em vidro Magnor Glassverk, ela criou o que talvez sejam suas peças mais belas: a série de vasos “Bulbous”. Com o trabalho de sopro dos artesãos da Magnor, ela desenvolveu objetos coloridos e, ao mesmo tempo, delicados. “Os vasos exploram a tensão e a relação entre suas formas tridimensionais e sua superfície gráfica”, explica a designer.

Vaso 3

Para criar este efeito, ela sobrepôs duas camadas de vidro de cores diferentes ou de aspectos opostos, como opaco e brilhante. Alguns dos vasos usam uma técnica chamada graal. “O vidro é soprado dentro de um molde em forma de cápsula e em seguida jateado, para revelar um padrão que lembra veias. Depois, ele é reaquecido e assoprado novamente, para assumir a forma final”, destaca.

Vaso 4

Compartilhe:

Cidade gráfica

Tipos Malditos (1998-2014)

Tipos Malditos (1998-2014)

O design gráfico como objeto de discussão, debate e difusão. Esta é uma das propostas do Itaú Cultural, instituição que promove algumas das mostras mais bacanas de São Paulo. Agora é a vez de “Cidade Gráfica”, que começa no dia 19 de novembro e apresenta um panorama da produção gráfica no país, a partir de um tema: a vida urbana. Serão 40 obras de 36 artistas, incluindo desde trabalhos produzidos no circuito comercial ou institucional até pesquisas, práticas alternativas, plataformas críticas ou atuações políticas que ultrapassem ou questionem as fronteiras convencionais da atuação profissional do designer.

Campanha Não-eleitoral (2012)

Campanha Não-eleitoral (2012)

Celso Longo, Daniel Trench e Elaine Ramos, os curadores da exposição, selecionaram parte das obras em uma chamada aberta realizada este ano, que convocou trabalhos no campo do design gráfico que tivessem a cidade como tema, suporte ou discurso. Entre os selecionados, estão nomes como Marcelo Drummond, François Chastanet, Hélvio Romero, Daniel Escobar, Guilherme Luigi, Augusto Sampaio, da dupla Bruna Canepa e Ciro Miguel e os coletivos Piseagrama, Garapa e Oitentaedois.

Projeto Estúdio Valongo (2011)

Projeto Estúdio Valongo (2011)

O resultado é um conjunto de práticas no circuito do design visual que colaboram com a reflexão sobre a cidade, com suas especificidades, complexidades e problemáticas, de uma perspectiva crítica, criativa ou poética. Vai perder?

Movimento Tipografico B

Movimento Tipografico B

Serviço:

Exposição “Cidade Gráfica”

Local: Itaú Cultural - Avenida Paulista, 149 – São Paulo

Data: de 19 de novembro de 2014 até 4 de janeiro 2015

Horário: De terça-feira a sexta-feira, das 9h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h

Fone: 11 2168-1777

Entrada franca

novo.itaucultural.org.br 

*fotos: Piseagrama, Augusto Sampaio, Coletivo Oitentaedois , Marcelo Drummond

 

Compartilhe:

Maria di Pace abre espaço cultural em São Paulo

Ouça abaixo a matéria que foi ao ar no rádio ou clique aqui para fazer o donwload:

 

Em uma mesma parede estão um portal renascentista e quatro pinturas contemporâneas. Esta é apenas uma amostra da pluralidade da coleção pessoal do renomado arquiteto Ugo di Pace. “Tenho peças da Roma Antiga até obras dos dias de hoje”, contou ao portal Living Design o arquiteto, que cedeu este precioso acervo para uma exposição promovida por sua filha, a designer de interiores Maria di Pace para a inauguração do seu di Pace Arte & Design. Serão 250 peças na exibição “Arte Erudita no Decór”. O projeto cultural será um espaço para mostras, leilões e desfiles, na cidade de São Paulo.

“Quero passar informação de qualidade para as pessoas de maneira acessível e leve. Espero trazê-las para este universo. Por isso, já estamos fazendo uma programação que envolve de fotografia a moda, para que todos percebam que isso faz parte do nosso dia a dia”, disse Maria. O andar de baixo de um casarão no bairro do Morumbi foi decorado como uma sala e não deixa de ser uma homenagem a seu pai, que sempre pensou em seus projetos tendo como foco a arte.

Ugo montou seu acervo pessoal em meio a compras para seus clientes. “Nunca me desfiz de uma peça e hoje tenho em casa cerca de 450”, explica. E termina a entrevista de forma poética. “O que faço, ao projetar um ambiente, é criar uma cenografia para obras de arte. Nosso mundo é um grande teatro e nós somos protagonistas dele. Então essa cenografia é parte da nossa vida e estar rodeados por coisas belas nos transmite a obrigação de ser felizes”.

Di Pace 1

Di Pace 2

Di Pace 4

Di Pace 3

Serviço:

Exposição Acervo Ugo di Pace – “Arte Erudita no Decór”

Local: Espaço di Pace Arte & Design - R. Dr. Clovis de Oliveira, 450, São Paulo

Data: De 22 a 29 de outubro de 2014

Horário: das 14h às 20h

Fone: 11 3722-0477

Entrada Gratuita

dipacedipace.com.br

Compartilhe: