A natureza como inspiração

Edit Szabó 1

Objetos de arte, móveis ou esculturas? A definição pouco importa. O que interessa é que as criações da designer e escultora húngara Edit Szabó são arquitetonicamente funcionais e respeitam uma tradição artística, demonstrando o papel de um objeto em determinado ambiente, com suas particularidade e estética fora do lugar-comum.

Edit Szabó 2

De seu estúdio, em Budapeste, saem os mais diferentes trabalhos conceituais, com destaque para os móveis de rua e itens de porcelana. O trabalho com volumetria ocupa boa parte de seu tempo e o mais recente resultado é a linha de bancos de cerâmica “Tame”. Orgânicos, os móveis se inspiram em dois animais selvagens que podem ser domados (“tamed”, em inglês): o urso e a raposa. A primeira linha tem alturas variadas, para adultos e crianças. A segunda, foi pensada para uma disposição em série, com as peças se encaixando. Elas podem ganhar rodinhas e virar um quebra-cabeças alterado ao sabor do vento.

Edit Szabó 3

No processo de produção, Edit contou com a fábrica Zsolnay Pyrogranite para moldar uma argila chamada chamote. Primeiro, foram desenvolvidos moldes negativos, onde a matéria-prima era colocada, depois ela era levada a altas temperaturas para endurecer e se tornar resistente à água e a raios solares. As peças podem, então, ser deixadas ao tempo, e ainda são fáceis de limpar e leves. Para a continuação deste trabalho, Edit diz que está buscando inspiração em canteiros de plantas e silos.

Edit Szabó 7

Edit Szabó 8

Compartilhe:

O melhor arranha-céu do mundo

A cada dois anos, na cidade alemã de Frankfurt, é anunciado o vencedor do prêmio International Highrise, que nada mais é do que o melhor arranha-céu do mundo. Os critérios usados pelos jurados para definir o vencedor, que ganha 50 mil euros, são: prédios com mais de 100 metros de altura, concluídos até 1º de janeiro deste ano, com uma estrutura que combine sustentabilidade, um belo formato e espaço interno de qualidade, sem contar os aspectos sociais.

Este ano, os organizadores já anunciaram os cinco finalistas, que aguardam até novembro para saber qual é o projeto campeão. São eles:

Bosco Verticale, em Milão

Bosco Verticale, do Boeri Studio

Bosco Verticale, do Boeri Studio

Bosco Verticale, do Boeri Studio

Bosco Verticale, do Boeri Studio

O projeto foi selecionado porque é um exemplo impressionante de uma simbiose entre arquitetura e natureza. Cada um dos 400 apartamentos terá acesso a um pátio ou sacada, que serve de jardim privado de cada morador.

De Rotterdam, em Rotterdã

De Rotterdam, do OMA Studio

De Rotterdam, do OMA Studio

De Rotterdam, do OMA Studio

De Rotterdam, do OMA Studio

O edifício se orienta a partir da ideia de uma cidade vertical, cujas funções estão empilhadas umas sobre as outras. Sua multifuncionalidade, a alta ocupação do espaço e sua beleza impressionaram o júri.

One Central Park, em Sidney

One Central Park, do Ateliers Jean Nouvel

One Central Park, do Ateliers Jean Nouvel

One Central Park, do Ateliers Jean Nouvel

One Central Park, do Ateliers Jean Nouvel

A bem sucedida combinação de inovação, sustentabilidade e custo-benefício colocou este projeto entre os finalistas. Tratam-se de duas torres, que compartilham uma mesma base e se erguem com um vazio entre si. O edifício inteiro é permeado por vegetação.

Renaissance Barcelona Fira Hotel, em Barcelona

Renaissance Barcelona Fira Hotel, do Ateliers Jean Nouvel

Renaissance Barcelona Fira Hotel, do Ateliers Jean Nouvel

Renaissance Barcelona Fira Hotel, do Ateliers Jean Nouvel

Renaissance Barcelona Fira Hotel, do Ateliers Jean Nouvel

Dois “discos” paralelos constituem a característica mais marcante do deste hotel, de 105 metros de altura. Ele também apresenta um vazio entre seus elementos, que permite a passagem do ar.

Sliced Porosity Block, em Chengdu

Sliced Porosity Block, do Steven Holl Architects

Sliced Porosity Block, do Steven Holl Architects

Sliced Porosity Block, do Steven Holl Architects

Sliced Porosity Block, do Steven Holl Architects

Este projeto na China é um complexo residencial e corporativo. Em seu centro, há uma grande praça que se torna uma experiência ainda mais especial à noite, quando a iluminação do espaço atinge as fachadas das torres. Neste projeto, o espaço público, tão frequentemente negligenciado nos empreendimentos chineses, teve destaque.

Compartilhe:

Poesia tridimensional para o Jardins de Tulherias, em Paris

Sou Fujimoto 2

Cubos de alumínio, ligados uns aos outros apenas por umas de suas bordas ou cantos, parecem pendurados no ar, formando uma peça arquitetônica a visualmente leve e quase etérea. A instalação do arquiteto japonês Sou Fujimoto criada para os Jardins de Tulherias, em Paris, é praticamente uma poesia tridimensional. “Estes volumes flutuantes criam uma nova experiência de espaço, um ritmo de sombras e luzes oscilantes como o sol passando entre as folhas das árvores”, diz Fujimoto.

Sou Fujimoto

Sim, porque não bastasse a engenhosidade de equilibrar os cubos no ar, Fujimoto ainda imaginou árvores crescendo entre eles. O vazio criado nos espaços que não são preenchidos por cubos servem como vasos para que cresça vegetação, criando uma sensação de volume aleatório e também orgânico. As principais entradas para a instalação estão nos cantos opostos da estrutura, tornando quase indefinido o limite entre exterior e interior.

Sou Fujimoto 3

Assista aqui o vídeo com uma animação do projeto.

Sou Fujimoto 4

Sou Fujimoto 5

Sou Fujimoto 6

*Fotos: Philippe Gravier

Compartilhe:

Um restaurante de ossos

Um edifício modernista dos anos 40 em Lafayette, bairro-design de Guadalajara, México, foi o endereço escolhido por Alfonso Cadena para seu novo restaurante. Parte da quarta geração de uma família de chefs de cozinha francesa, o chef tem uma cozinha que mescla a tradição que herdou do pai a uma inspiração oriental e com toques mexicanos.

Para interpretar o inovador conceito proposto por Alfonso, os arquitetos do Cadena+Asociados não pouparam esforços. Isto porque o nome escolhido pelo chef, “Huesos”, significa ossos em espanhol. Os arquitetos, então, começaram o projeto criando um exterior coberto de azulejos de cerâmica artesanais, feitos à mão, que fazem lembrar pespontos e costuras.

A parte interna é orgânica e cheia de texturas por uma razão, no mínimo, muito inovadora: as paredes receberam mais de 10.000 ossos de animais – e ferramentas de cozinha – aplicados em blocos de madeira. Quem cuidou dessa composição foi um grupo de artistas de rua. A paleta off-white, a cozinha aberta para o salão e o bar, que separa os chefs da mesa principal, completam o impressionante cenário.

Hueso 1

Hueso 2

Hueso 3

Hueso 4

Hueso 5

Hueso 6

Hueso 7

Hueso 8

Hueso 9

Hueso 10

*Fotos: Jaime Navarro

Compartilhe:

Novo concurso da Projetar.org

Cartaz do Projetar 008

Dentro do cenário da arquitetura e do urbanismo modernistas, Belo Horizonte se destaca. Primeiro porque foi a primeira cidade moderna planejada do Brasil, segundo porque encantou até Oscar Niemeyer. Um dos maiores ícones da arquitetura mundial do século XX, o complexo da Lagoa da Pampulha foi uma encomenda do então prefeito Juscelino Kubitchek ao renomado urbanista francês Alfred Agache. Não deu certo e quem realizou o projeto, você sabe, foi o próprio Niemeyer, que topou a empreitada para ““contestar a monotonia que cercava a arquitetura contemporânea”, segundo suas palavras à época.

Inaugurado em 1943, o complexo da Pampulha se tornou símbolo da arquitetura moderna brasileira e até hoje é um destino muito visitado por turistas. Pensando nisso, o portal Projetar.org, definiu como tema do Concurso 008 a criação de um InfoPoint na Lagoa, ou seja, um centro de informações turísticas, históricas e arquitetônicas destinado a receber com conforto visitantes de todo o mundo.

Para o concurso, que tem o apoio do Living Design, podem se inscrever grupos de no máximo cinco estudantes, devidamente matriculados em cursos de graduação em arquitetura. A taxa de inscrição por equipe é de R$ 100 e as inscrições devem ser feitas até o dia 17 de novembro de 2014 por meio do site projetar.org. O primeiro colocado ganha R$ 2.300 e mais a publicação do projeto em revistas e blogs parceiros do portal.

Serviço:

Inscrições para o Concurso 008

Local: somente pelo site

Data: até o dia 17 de novembro de 2014

projetar.org

Compartilhe: