Cadeira de arquiteto

Um dos mais populares podcasts do mundo, o 99% Invisible, de Roman Mars, fala sobre design e já reuniu audiência de mais de 90 milhões de pessoas. Em um de seus mais recentes episódios, o apresentador disse, brincando: “se eles já projetaram um grande edifício, há grandes chances de terem projetado algo onde possamos nos sentar”. E ele tem razão: Mies van der Rohe, Frank Gehry e Le Corbusier são alguns dos nomes que assinaram cadeiras icônicas. Veja algumas delas:

Cadeira Tulipa, de Eero Saarinen e Charles Eames

Cadeira Tulipa, de Eero Saarinen e Charles Eames

Wiggle Side Chair, de Frank Gehry

Wiggle Side Chair, de Frank Gehry

Bowl Chair, de Lina Bo Bardi

Bowl Chair, de Lina Bo Bardi

Chaise Longue LC4, de Le Corbusier

Chaise Longue LC4, de Le Corbusier

Paimio Chair, de Alvar Aalto

Paimio Chair, de Alvar Aalto

Red Blue Chair, de Gerrit Rietveld

Red Blue Chair, de Gerrit Rietveld

Poltrona Barcelona, de Mies van der Rohe

Poltrona Barcelona, de Mies van der Rohe

 

 

 

 

 

 

Compartilhe:

Homenagem merecida

Paulo, Lina e Artigas

Paulo, Lina e Artigas

Este ano, a “Medalha 25 de Janeiro”, honraria feita a cidadãos que, de uma forma ou de outra, se destacaram e melhoraram a qualidade de vida da cidade e São Paulo, foi entregue a três arquitetos que mudaram a cara na metrópole e a tornaram mais democrática. A homenagem é um reflexo de um conceito cada vez mais valorizado aqui no Brasil, mas ainda recente: de que a população tome o espaço urbano.

In memoriam, foram agraciados João Batista Vilanova Artigas e Lina Bo Bardi. E Paulo Mendes Rocha recebeu a medalha das mãos do prefeito Fernando Haddad. “Ao reconhecer o trabalho realizado por estes grandes arquitetos e urbanistas o que nós queremos é convidar a todos a pensar a cidade como sua casa. Nós moramos em São Paulo, ninguém mora em uma residência, em um apartamento. Você se situa no espaço público, é desse que nós temos que nos apropriar, é desse que nós temos que cuidar”, disse Haddad.

O capixaba Paulo Mendes Rocha, 86 anos, foi reconhecido com a medalha pela relevância de sua atuação na cidade, com obras como o Museu Brasileiro de Escultura (Mube), a reforma da Pinacoteca do Estado e o projeto do Museu da Língua Portuguesa. “Convocando a ideia belíssima de Vilanova Artigas de que a casa é uma cidade e a cidade é uma casa, faço votos de que possamos juntos efetivamente nesse lugar continuar a história e construir essa cidade com um projeto de que seja essencialmente uma cidade para todos”, disse Paulo Mendes da Rocha, ao agradecer pela homenagem.

Renato Anelli, Diretor do Instituto Lina Bo Bardi, representou Lina (1914-1992), responsável por obras que são símbolos da cidade como o Museu de Arte de São Paulo e a sede do Sesc Pompeia. Quem recebeu a medalha no lugar de Artigas – autor, por exemplo, do estádio do Morumbi – foi Rosa, sua filha.

“Todos tinham a convicção de que um projeto arquitetônico contribui para um projeto de cidade, para um país mais soberano e para uma humanidade mais justa”, resumiu o professor Carlos Martins, Diretor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – Campus São Carlos.

Compartilhe:

Os 100 anos de Lina Bo Bardi em exposição

Ouça abaixo a matéria que foi ao ar no rádio ou clique aqui para fazer o donwload:

 

No ano do centenário da brilhante arquiteta nascida em Roma e naturalizada brasileira, o Museu da Casa Brasileira (MCB) lhe presta uma homenagem: a mostra “Maneiras de expor: arquitetura expositiva de Lina Bo Bardi”. Em destaque, a influência da cultura popular brasileira em seu trabalho e seu legado para a museografia nacional. “Reunimos as exposições que ela desenhou, curou e realizou”, explica Giancarlo Latorraca, diretor técnico do MCB e curador da mostra.

image-8

A exibição traz desenhos, cartazes e fotos originais de mostras realizadas por Lina Bo Bardi, além de seis exemplares dos famosos cavaletes de vidro criados pela arquiteta. A partir da pesquisa feita em documentos e fotografias, e da construção de maquetes e expositores em escala, foram montadas ambientações que transformam as salas do MCB em modelos aproximados de exposições como ”Caipiras, capiaus: pau-a-pique”, “Bahia no Ibirapuera”, além das pinacotecas do MASP 7 de abril e MASP Paulista. Além disso, será possível ver cinco entrevistas em vídeo feitas com personagens que interagiram profissionalmente com Lina na realização de sua obra ou através dela, assim como três projeções de filmes de época sobre a Pinacoteca do MASP e sobre as exposições “Design no Brasil: história e realidade” e “Caipiras, capiaus: pau-a-pique”.

image-11

image-7

As inovações propostas por Lina vão muito além da arquitetura, sua área de formação: ela mostrou que era possível expor fora do ambiente museológico com um caráter mais comercial, elaborou exposições para o Museu de Arte de São Paulo que foram uma verdadeira revolução museográfica e propôs grandes painéis sobre design e cultura do cotidiano no SESC Pompeia, na capital paulista.

image-10

“Lina Bo Bardi soube, sem preconceitos, apontar as possibilidades de construção de uma identidade para o design nacional”, diz Miriam Lerner, diretora geral do museu. Só por isto e por seus esforços para trazer a arte para dentro do nosso dia-a-dia, Lina já mereceria muitas homenagens.

image-15

image-17

image-18

 Serviço:

Exposição “Maneiras de expor: arquitetura expositiva de Lina Bo Bardi”

Local: Museu da Casa Brasileira – Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705, São Paulo

Data: de 19 de agosto até 09 de novembro de 2014

Horário: de terça a domingo, das 10h às 18h

Fone: 11 3032-3727

Ingressos: R$ 4. Entrada gratuita aos sábados, domingos e feriados

mcb.org.br

 

Compartilhe:

Gigante arquitetura

O escritório australiano de arquitetura Studio505 criou um polo cultural impressionante na cidade de Wujin, na China. O complexo Phoenix Valley, que reúne um teatro com mil assentos, quatro cinemas, uma galeria de arte de cinco andares, playground, cafés, restaurantes e um centro educativo com capacidade para quatro mil alunos foi encomenda do governo chinês.

O projeto, de 65.000 metros quadrados, empolga não só pela sua grandiosidade, mas também pelas tecnologias que foram empregadas em favor de sua sustentabilidade: o telhado verde – composto de um patchwork de grama – diminui a temperatura interna e recebe placas fotovoltaicas para produção de energia limpa. O sistema de ventilação natural e a iluminação em LED também auxiliam a proposta verde.

Sem contar, é claro, a beleza das formas e cores. O prédio principal em forma de U foi pensado para circundar o pátio principal. Sua fachada recebeu painéis coloridos que dão ainda mais dinâmicas às formas geométricas da construção. Uma das partes mais bonitas do complexo é o hall central, onde se cruzam escadas rolantes coloridas que são um convite a desfrutar de todas as opções culturais disponíveis no espaço.

A iluminação traz dinâmica à fachada do Centro Cultural Wujin

As escadas rolantes e o Centro de aprendizado do Centro Cultural Wujin

O cinema do Centro Cultural Wujin

O teatro do Centro Cultural Wujin

Outra vista do teatro do Centro Cultural Wujin

Prédio principal do complexo Centro Cultural Wujin

As fachadas do Centro Cultural Wujin

Centro Cultural Wujin 1

Teto do Centro cultural Wujin

Compartilhe:

House & Garden de Ryue Nishizawa faz da casa um jardim vertical

O projeto da casa House & Garden, criado pelo arquiteto japonês Ryue Nishizawa, conseguiu a proeza de trazer um jardim para cada espaço dessa estreita construção, de 13 metros de largura e quatro andares, espremida no centro comercial da cidade de Tóquio.

A casa, com paredes de vidro, foi feita a partir de uma série de lajes estruturais de concreto empilhadas. Para complementar a decoração, garantir privacidade e filtrar a luminosidade, cortinas foram instaladas. Mas, o grande diferencial do espaço é a presença de vasos de plantas em todos os cômodos. O verde também é visto nas generosas varandas e terraços causando a impressão de um comprido jardim vertical.

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa

House & Garden de Ryue Nishizawa


Compartilhe: