Um bate-papo com Fermín Vázquez

Fermín Vázquez

Fermín Vázquez

Fermín Vázquez lidera o escritório b720, em Barcelona, onde produz uma arquitetura contemporânea comprometida com o uso responsável dos recursos naturais. Em 2012, abriu uma filial brasileira em São Paulo, despois de vencer um concurso para a requalificação do frente portuário do Rio Guaíba, em Porto Alegre, revitalizando uma área de 2,5 quilômetros da zona portuária da cidade.

O Living Design conversou com ele sobre seu namoro com o Brasil, o papel da arquitetura hoje e até um pequeno roteiro sobre a arquitetura imperdível da Espanha. Confira:

Como se deu seu interesse pelo Brasil?

É impossível não estar interessado no Brasil. Vocês fazem algumas das coisas mais interessantes do mundo. Literalmente. Veja neste início do século 21 os países mais transformadores do planeta. O Brasil está entre eles. Meu interesse de trabalhar aqui aconteceu graças a um projeto que fizemos para Porto Alegre, e vencemos graças à nossa experiência na Espanha, de ter feito um projeto similar. Resolvemos, então, nos estabelecer em São Paulo. Foi o Brasil que nos escolheu.

Complexo Cais Mauá, Porto Alegre

Projeto do complexo Cais Mauá, Porto Alegre

Quais foram os principais desafios na formatação do projeto em Porto Alegre?

É um projeto público-privado, então queríamos recuperar e preservar o espaço público, aberto para a cidade, e ao mesmo tempo, obter sucesso comercial para a empresa privada.

Os brasileiros têm te procurado muito para projetos residenciais. A que você atribui este sucesso?

A arquitetura espanhola tem sido uma das mais interessantes do mundo. Teve há uns sete anos uma mostra no MoMA de NY falando sobre a arquitetura da Espanha, que tem ganhado muito prestígio. Acredito que esta foi a razão de nos buscarem. E temos também uma proximidade cultural com o Brasil. Além disso, existe muita demanda e as fórmulas arquitetônicas daqui eram muito repetitivas. Então os clientes foram atrás da gente à procura de um olhar diferente sobre os mesmos problemas.

Como você define as principais características da arquitetura espanhola hoje?

A Espanha está se recuperando da crise e sua criatividade está ressurgindo. Também existe uma ótima formação de arquitetos por lá: humanística, artística, técnica e científica. Isto dá resultados interessantes.

Qual é a função da arquitetura hoje?

A função sempre foi a mesma: acompanhar toda a atividade humana. Deixar um mundo melhor que encontramos. Todo arquiteto quer deixar um rastro físico importante.

O que você e sua equipe na B720 têm buscado e pesquisado para o futuro?

Difícil dizer, porque nossos projetos são sempre uma resposta a um problema concreto. Nossa maior preocupação no momento e, acho, o grande assunto do futuro, é a responsabilidade social, não importando se o incorporador é privado ou público. É respeitar o espaço público.

Mercado dos Encantos

Mercado dos Encantos

Quais foram seus principais acertos e erros no “Mercado dos Encantos” (tradicional mercado de pulgas de Barcelona, recente projeto de Vázquez)?

O maior acerto foi preservar o espírito original do mercado e, ao mesmo tempo, torná-lo mais eficiente, moderno e cômodo, com impacto na mobilidade urbana. Ainda não saberia avaliar o que mudaria, preciso esperar alguns anos para te responder isso.

Madrid Rio

Madrid Rio

Gostaria que você desse três dicas para nosso leitor que vai à Espanha e quer conferir de perto monumentos arquitetônicos contemporâneos.

O que mais me chama a atenção na arquitetura contemporânea da Espanha hoje são os projetos de espaços públicos. O projeto “Madrid Rio”, que transforma uma área muito degradada de Madri em um grande parque linear ao longo do rio, é magnífico. Nesta mesma área, temos outro exemplo do uso inteligente do patrimônio histórico: a transformação do antigo Matadouro de Madri em um grande complexo cultural, onde foram utilizados os talentos de várias equipes de jovens arquitetos de maneira exemplar. Outro bom exemplo desta atitude é o projeto de uma passarela sobre um rio na cidade de Girona, assinado pelo escritório de arquitetura RCR.

Passarela na cidade de GironaPassarela na cidade de Girona

Passarela na cidade de GironaPassarela na cidade de Girona

 

Compartilhe:


O novo projeto de Jean Nouvel

Quem já esteve diante do magnífico Instituto do Mundo Árabe em Paris sabe do que o arquiteto francês Jean Nouvel é capaz. A beleza das janelas que se abrem e se fecham de acordo com a incidência da luz do sol e ao mesmo tempo remetem à arquitetura do Oriente Médio é impressionante. O edifício contempla ainda a questão da sustentabilidade, justamente graças a suas janelas. Elas são, na verdade, painéis com diafragmas semelhantes aos das máquinas fotográficas. Foi justamente seguindo esta linha de raciocínio que Nouvel apresentou seu mais recente projeto: um edifício em Sidney, Austrália, envidraçado e coberto por um jardim vertical, desenvolvido em parceria com o botânico e designer Patrick Blanc, o inventor deste tipo de paisagismo.

Com o nome de One Central Park, o complexo é a menina dos olhos da prefeitura de Sidney, que revitaliza o centro da cidade em um investimento de dois bilhões de dólares australianos. O edifício compreende duas torres residenciais e um shopping center. A torre oeste tem 84 metros de altura e acomoda 240 residências, a torre leste contém 383 apartamentos distribuídos em 117 metros de altura. No terraço, existe mais um jardim.

A edificação terá mais de 1.000 metros quadrados e na fachada, 21 painéis serão cobertos de plantas de 35 espécies. Para aproveitar a energia solar, Nouvel trabalhou com a especialista em iluminação Yann Kersale e criou um painel de espelhos que projeta a energia para o centro do edifício. À noite, o prédio será iluminado por LED e se tornará uma instalação luminosa para tornar ainda mais belo o centro da capital australiana.

Projeto de Jean Nouvel em Sideny

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 2

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 3

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 4

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 5

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 6

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 7

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 8

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 9

Projeto de Jean Nouvel em Sidney 10

 

 

Compartilhe:


Como projetar um parklet

Lembra que a gente falou aqui sobre a importância dos parklets para que as pessoas possam realmente viver a cidade? Então. O portal Projetar.org anunciou os vencedores do concurso 007, que tinha exatamente esta proposta: o desenvolvimento de vagas verdes para o bairro Vila Madalena, em São Paulo. Foram 241 equipes inscritas e, além dos três primeiros lugares, houve duas menções honrosas.

Confira aqui as propostas dos campeões:

1º lugar: “Vazio”

1o lugar no concurso

Miguel Meister Neto

O estudante de Curitiba associou o bairro da Vila Madalena com a meca da arte urbana mundial. Inspirou-se, então, em suas cores e em sua ideia central: a de que a cidade vive em constante mutação. E o que poderia representar este conceito melhor do que uma superfície de blocos de madeira modulares que se encaixam e desencaixam ao bel prazer do usuário? Floreiras e pequenas horas de garrafa pet completam sua ideia para preencher um espaço de uso comum dos cidadãos.

2º lugar: “Wavelet”

2o lugar no concurso

Daniel Aubert de Araujo Barros
Lucas Lopes de Castro
Poliana Lopes de Oliveira
Reberth Emannuel Rocha Almeida
Rodolfo de Albuquerque Torres

O ponto de partida para o projeto dos estudantes alagoanos foi o som. Altos, baixos, graves e agudos, eles se propagam de diferentes maneiras. Foi justamente este relevo sonoro irregular que motivou a criação do parklet. Assim como o projeto campeão, este propõe peças que podem ter sua disposição modificada. O local então pode servir para pique-niques, apresentações musicais ou parquinho de diversões, por exemplo, para que os indivíduos tenham autonomia para modificar seu próprio espaço urbano.,

3º lugar: “Latãodesardinha”

3o lugar no concurso

Valentin Bautista Brügger
Pablo Francisco Rivera
Nicolas David Martinez

Os estudantes mineiros buscaram no grafite a ideia de uma plataforma com diferentes alturas que estimule um passeio pelo Beco do Batman. Com revestimento de aço, o local é perfeito para o exercício da arte urbana, pois oferece proteção contra corrosão. As plataformas são compostas de placas de concreto e placas de material móvel e funciona em um sistema de andaimes, que também podem ser modificados ao longo do tempo.

Menções honrosas:

“Macarena”

Menção Honrosa

Carolina Gomes Antonucci

Marina Lima Carrara

Luciane Cristina Seixas

Naiara Maira Amorim Carvalho

O projeto é composto de módulos de concreto, que são conectados por porcas e barras. Eles também podem ser transportados e alterados facilmente por qualquer cidadão, assumindo, mais uma vez caráter modular e flexível.

“Aura”

Menção Honrosa 2

Artur Pretto Junqueira

Lucas Richardt Medeiros

Lucas Rogério Sulzbach

Henrique Luis V. Caumo

Já “Aura” tem uma estrutura metálica revestida com piso do tipo deque modular de madeira e conta com floreiras, lixeiras, obras de arte, bicicletário e bancos, que dividem a área do parklet em núcleos do convivência.

Compartilhe:


Seminário Técnico para o Concurso MIS PRO

Concurso MIS PRO

Estão abertas até o dia 31 de outubro as inscrições para concurso nacional que irá escolher o projeto de requalificação espacial e funcional do edifício do Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de Janeiro, localizado na Rua Visconde de Maranguape, na Lapa.

Agora, o Instituto de Arquitetos do Brasil promove um seminário técnico a respeito para quem quiser aprofundar conhecimentos sobre o projeto. Será no dia 14 de outubro, às 15 horas. O evento tem como objetivo apresentar uma visão das premissas propostas pelo edital e pelo Termo de Referência do concurso, das afinidades entre o MIS e o MIS PRO, além dos resultados desejados do projeto vencedor. O seminário vai contar com apresentações da gerente de projetos da Fundação Roberto Marinho, Larissa Graça, do consultor de comunicação para museus da Fundação Roberto Marinho, Luís Marcelo Mendes, e da diretora técnica operacional do MIS, Suely Braga.

Serviço:

Seminário Técnico do Concurso MIS PRO

Local: Sede do IAB-RJ – Beco do Pinheiro, 10 – Rio de Janeiro

Data: 14 de outubro

Horário: 15 horas

Fone: 21 2557-4192

iabrj.org.br 

Compartilhe:


Concurso para requalificar o Parque do Mirante

Concurso Parque do Mirante

Atenção, profissionais de arquitetura! Estão abertas as inscrições do concurso nacional que terá como objetivo a seleção de projetos de arquitetura para a requalificação do Parque do Mirante, patrimônio natural, histórico, cultural e turístico de Piracicaba.

O concurso possibilita a participação da sociedade e de profissionais de arquitetura e de urbanismo em um projeto fundamental para Piracicaba, ampliando as possibilidades de novas propostas criativas e inovadoras que revitalizem este espaço às margens do rio da cidade, estimulando a preservação do patrimônio histórico e natural para diferentes usos, para que as pessoas possam viver ainda mais a cidade, com direito a atividades pedagógicas, de entretenimento, lazer e turismo.

Durante 50 dias, de 20 de novembro a 8 de dezembro, o site do concurso estará aberto ao envio de sugestões dos interessados em participar deste processo e contribuir com ideias. Estas serão analisadas por um corpo técnico do Instituto de Arquitetos do Brasil, que orientará os arquitetos interessados em participar na elaboração dos projetos.

Serviço:

Inscrições para o Concurso de Requalificação do Parque do Mirante

Data: De 20 de novembro a 08 de dezembro de 2014

www.iabsp.org.br/parquedomirante 

Compartilhe: