Como Paris pretende triplicar o número de pessoas que se deslocam de bicicleta

Paris bicicleta

A prefeitura de Paris tem uma meta clara em seu planejamento urbano: triplicar a quantidade de pessoas que usam diariamente a bicicleta. A ideia é que este número passe de 5% para 15% da população até 2020. E o objetivo deve ser atingido graças ao “Plano de Bicicletas 2015-2020”, que foi apresentado recentemente.

Ele inclui ações como duplicar a quantidade de ciclovias na cidade – que deve chegar a 1.400 quilômetros –, estabelecer uma rede expressa de 80 quilômetros de extensão com trechos segregados dos automóveis, e ainda criar um fundo econômico de 10 milhões de euros. Ele deve auxiliar na compra de bicicletas e no desenvolvimento de centros de aprendizagem e oficinas mecânicas. Além disso, devem ser construídas 10 mil novas vagas de estacionamento para as magrelas – de preferência nas proximidades das estações de trem e metrô.

Para chegar à conclusão do que seria importante para concretizar o plano, o município realizou uma consulta com 7 mil cidadãos, que falaram da necessidade de mais segurança nos percursos. O plano, então, recebeu um investimento de 150 milhões de euros para corrigir estas falhas e incentivar o transporte sobre duas rodas.

Compartilhe:


O que o Brasil pode aprender com o projeto de urbanismo do Uruguai

Montevideu

Montevideu

A partir do próximo dia 3, o Museu da Casa Brasileira traz a São Paulo a exposição “Cooperativas habitacionais no Uruguai – meio século de experiências”. O mais bacana vai ser observar como o país encontrou nas cooperativas de habitação uma solução de qualidade para a produção de suas moradias populares.

Por meio da reprodução de fotografias, planos e maquetes de vinte obras produzidas na cidade de Montevidéu durante 50 anos, a mostra registra o movimento cooperativista no país e contempla, assim, diversas modalidades de gestão, implantações urbanas e modalidades de projeto.

A experiência uruguaia na produção de habitação social pelo sistema cooperativo é um dos episódios mais interessantes da arquitetura sul-americana. Ele surgiu nos anos 60 a partir da iniciativa de um pequeno grupo de profissionais que conseguiu articular um modelo eficiente para possibilitar o acesso à habitação de qualidade à população trabalhadora. Tudo isso aconteceu em um contexto de profunda crise econômica que, entre outros efeitos, gerou uma forte paralisação na indústria da construção.

A partir do trabalho dessa equipe foi desenvolvida a base legislativa que gerou a Lei Nacional de Habitação Uruguaia (Lei Nacional de Vivenda) de 1968, uma conquista da classe operária organizada com experiência em trabalho coletivo, apoiada por uma geração de arquitetos com sólida formação técnica e comprometida com a melhora da qualidade de vida da população.

A experiência cooperativa atingiu sua maturidade em meados dos anos 60, com uma produção relevante, tanto em termos quantitativos quanto qualitativos. O movimento permaneceu em estado latente mesmo quando foi desarticulado pela ditadura militar, entre 1976 e 1989, mas a produção ressurgiu, lentamente, com o restabelecimento democrático, incorporando novas modalidades de atuação, como a reciclagem de construções existentes em áreas patrimoniais da cidade.

O cooperativismo demonstrou ser um sistema de grande potencial para a construção do habitat social urbano que gerou projetos de autogestão e habitar coletivo com um papel fundamental na construção de cidadania. Uma bela lição para estes tempos duros que estamos enfrentando.

Serviço:

Mostra “Cooperativas habitacionais no Uruguai – meio século de experiências”

Local: Museu da Casa Brasileira – Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705 – São Paulo

Data: De 3 de junho até 2 de agosto de 2015

Horário: De terça a domingo, das 10h às 18h

11 3032-3727

mcb.org.br

Compartilhe:


Conheça as 100 melhores universidades de arquitetura do mundo

Massachusetts Institute of Technology (MIT), EUA

Massachusetts Institute of Technology (MIT), EUA

O site QS Top Universities apresenta anualmente, desde 2011, rankings das melhores universidades do mundo.

Este ano, ele acaba de apresentar sua lista e os critérios para esta seleção foram três: reputação acadêmica, fama no mercado e impacto em pesquisa. A QS entrevistou 85.062 acadêmicos pelo mundo e pediu que eles escolhessem universidades de referência em suas áreas de atuação. Eles podiam indicar 10 universidades locais e 30 internacionais, menos as suas próprias. A QS falou ainda com 41.910 empregadores e fez a mesma pergunta para entender a reputação que as instituições tinham junto ao mercado. Somando-se a isso, ainda foram conferidos pontos às faculdades que tiveram as pesquisas científicas mais citadas em papers acadêmicos.

Na lista das melhores universidades para estudar arquitetura deste ano aparecem duas brasileiras: a Universidade de São Paulo, na 33ª posição, e a Universidade Federal do Rio de Janeiro, que ficou entre a 51ª e a 100ª colocação (a partir da 50ª eles não definiram uma ordem exata). Veja o ranking completo:

1. Massachusetts Institute of Technology (MIT) / EUA
2. The Bartlett School of Architecture | UCL (University College London) / Reino Unido
3. Delft University of Technology / Países Baixos
4. University of California, Berkeley (UCB) / EUA
5. Harvard University / EUA
6. National University of Singapore (NUS) / Singapura
7. ETH Zurich (Swiss Federal Institute of Technology) / Suíça
8. Tsinghua University / China
9. University of Cambridge / Reino Unido
10. The University of Tokyo / Japão
11. Columbia University / EUA
12. The Hong Kong Polytechnic University / Hong Kong
13. University of Hong Kong (HKU) / Hong Kong
14. Politecnico di Milano / Itália
15. The University of Melbourne / Austrália
16. Tongji University / China
17. The University of Sydney / Austrália
18. University of California, Los Angeles (UCLA) / EUA
19. Seoul National University (SNU) / Coreia do Sul
20. University of British Columbia / Canadá
21. KTH, Royal Institute of Technology / Suécia
22. The University of New South Wales (UNSW) / Austrália
22. Universitat Politècnica de Catalunya / Espanha
24. Ecole Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL) / Suíça
25. University of Illinois at Urbana-Champaign / EUA
26. Georgia Institute of Technology (Georgia Tech) / EUA
27. Cornell University / EUA
28. Eindhoven University of Technology / Países Baixos
29. Cardiff University / Reino Unido
30. Stanford University / EUA
31. Pontificia Universidad Católica de Chile / Chile
32. Kyoto University / Japão
33. RMIT University / Austrália
33. Universidade de São Paulo (USP) / Brasil
35. University of Pennsylvania / EUA
36. University of Toronto / Canadá
37. The University of Queensland (UQ) / Austrália
38. Princeton University / EUA
39. University of Salford / EUA
40. University of Newcastle / Austrália
41. Monash University / Austrália
41. Shanghai Jiao Tong University / China
41. University of Texas at Austin / EUA
44. The University of Sheffield / Reino Unido
45. The University of Auckland / Nova Zelândia
46. Technische Universität München / Alemanha
47. City University of Hong Kong / Hong Kong
48. Oxford Brookes University / Reino Unido
49. Texas A&M University / EUA
49. University of Michigan / EUA
51-100. Aalborg University / Dinamarca
51-100. Aalto University / Finlândia
51-100. Carnegie Mellon University / EUA
51-100. Chalmers University of Technology / Suécia
51-100. Chulalongkorn University / Tailândia
51-100. Curtin University / Austrália
51-100. Griffith University / Austrália
51-100. Hanyang University / Coreia do Sul
51-100. Illinois Institute of Technology / EUA
51-100. Katholieke Universiteit Leuven / Bélgica
51-100. KIT, Karlsruher Institut für Technologie / Alemanha
51-100. Korea University / Coreia do Sul
51-100. Lund University / Suécia
51-100. McGill University / Canadá
51-100. Nanjing University / China
51-100. National Cheng Kung University / Taiwan
51-100. New York University (NYU) / EUA
51-100. Newcastle University / Reino Unido
51-100. Norwegian University of Science and Technology / Noruega
51-100. Pennsylvania State University / EUA
51-100. Politécnica de Madrid / Espanha
51-100. Politecnico di Torino / Itália
51-100. Queensland University of Technology (QUT) / Austrália
51-100. Rheinisch-Westfälische Technische Hochschule Aachen / Alemanha
51-100. Sungkyunkwan University / Coreia do Sul
51-100. Technion – Israel Institute of Technology / Israel
51-100. Technische Universität Berlin / Alemanha
51-100. Technische Universität Wien / Áustria
51-100. The Chinese University of Hong Kong (CUHK) / Hong Kong
51-100. The University of Nottingham / Reino Unido
51-100. Tianjin University / China
51-100. Tohoku University / Japão
51-100. Universidad de Buenos Aires / Argentina
51-100. Universidad de Chile / Chile
51-100. Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM) / México
51-100. Universidade Federal do Rio de Janeiro / Brasil
51-100. Universiti Malaya (UM) / Malásia
51-100. Universiti Sains Malaysia (USM) / Malásia
51-100. Universiti Teknologi Malaysia (UTM) / Malásia
51-100. University of Bath / Reino Unido
51-100. University of Edinburgh / Reino Unido
51-100. University of Illinois, Chicago (UIC) / EUA
51-100. University of Liverpool / Reino Unido
51-100. University of South Australia (UniSA) / Austrália
51-100. University of Southern California / EUA
51-100. University of Washington / EUA
51-100. University of Waterloo / Canadá
51-100. Vilnius Gediminas Technical University / Lituânia
51-100. Yale University / EUA
51-100. Zhejiang University / China

Compartilhe:


Seminário “As virtualidades do morar: Artigas e a metrópole” no próximo dia 02

Virtualidades

Atenção estudantes, profissionais e interessados em arquitetura: estão abertas as inscrições para o seminário “As virtualidades do morar: Artigas e a metrópole”, que propõe apresentar e discutir novas perspectivas de análise de João Batista Vilanova Artigas no ano da comemoração de seu centenário.

Artigas é considerado um dos principais nomes da história da arquitetura de São Paulo, seja pelo conjunto de sua obra, seja pela importância que teve na formação de toda uma geração de arquitetos, sobretudo quando foi professor da USP.

O evento é organizado pelos professores Leandro Medrano e Luiz Recaman e conta com abertura do professor Hugo Segawa. A mesa-redonda “Vilanova Artigas e a arquitetura brasileira”, composta pelos professores Miguel Buzzar, Ruth Zein, Luiz Recaman e Ana Lanna, debaterá a obra e as ideias desse arquiteto à luz do estágio atual de desenvolvimento das cidades brasileiras, especialmente a capital paulista.

Já a segunda mesa-redonda, com o tema “O morar e a cidade na obra de Vilanova Artigas”, deve abordar as dimensões sociais do espaço do morar como fundamento da organização urbana e social no processo de metropolização de São Paulo, trará uma conversa entre os professores Guilherme Wisnik, João Masao Kamita, Leandro Medrano e Mônica Junqueira.

Serviço:

Seminário “As virtualidades do morar: Artigas e a metrópole”

Local: auditório do MAC USP, Parque Ibirapuera – Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 – São Paulo

Data: dia 2 de junho de 2015

Horário: Das 9h às 17h30

belasartes.br

Compartilhe:


O conceito por trás do novo edifício da Fundação Prada, em Milão

A fachada

A fachada

Não é de hoje que a Prada tem dado o que falar em territórios que extrapolam a moda. Em 1993, ela criou a Fundação Prada, que realizava exibições de arte contemporânea e projetos de arquitetura, cinema e filosofia. Recentemente, inaugurou uma sede própria em um pallazzo histórico em Veneza e, este mês, abriu seu mais novo endereço em Milão.

A estrutura da destilaria preservada

A estrutura da destilaria preservada

Sempre com um perfil de experimentação, convidou o escritório OMA, do premiadíssimo arquiteto Rem Koolhass, para elaborar o projeto, que devia abranger diferentes disciplinas e galerias de arte. Com uma área construída de 18.900 metros quadrados, onde antes funcionava uma destilaria, Koolhass, como sempre, deu conta do recado.

Os fundos da Fundação

Os fundos da Fundação

“É surpreendente como o sistema da arte se expande, mas suas exibições continuam acontecendo em vitrines limitadas. A nova Fondazione funciona em um antigo complexo industrial que tem uma diversidade incomum de ambientes. Acrescentamos à estrutura já existente três novos edifícios: um grande pavilhão para exibições, uma torre e um cinema”, explica o arquiteto. Segundo ele, são os contrastes – entre novo e velho, horizontal e vertical, aberto e fechado, preto e branco – que definem o espaço.

Uma vista lateral da Fundação

Uma vista lateral da Fundação

Além das galerias de arte, chamam a atenção a sala de cinema, que desde sua inauguração está exibindo um documentário inédito de Roman Polanski sobre suas referências e inspirações, e o bar Luce, projetado pelo cineasta Wes Anderson (de “O Grande Hotel Budapeste”), que recria a atmosfera de um antigo café milanês.

O bar Luce

O bar Luce

Para a inauguração da Fondazione de Milão, a Prada escolheu duas mostras: “Serial Classic”, que vai até 24 de agosto, e “Portable Classic”, até 13 de setembro. A primeira é dedicada às esculturas clássicas e discute a relação entre originalidade e imitação. A segunda explora as origens e funções das miniaturas que reproduzem as esculturas clássicas. O Living Design participou da abertura especial, dedicada aos jornalistas, à convite da Prada. E indicamos: a Fondazione Prada é um endereço imperdível em Milão!

A mostra Portable Classic

A mostra Portable Classic

A mostra Serial Classic

A mostra Serial Classic

O interior da Fundação

O interior da Fundação

Serviço:

Fundação Prada

Local: Largo Isarco, 2, Milão, Itália

Fone: 0039 02 5666 2611

fondazioneprada.org

Compartilhe: