Museu da Casa Brasileira apresenta exposição sobre cerâmicas

Está em cartaz no Museu da Casa Brasileira a exposição “Utensílios: o espírito das formas”. A partir de peças da ceramista paulista Caroline Harari e de imagens da produção de cerâmica no Brasil, clicadas pela fotógrafa paulista Zaida Siqueira, a mostra trata da tradição das formas cerâmicas e suas técnicas artesanais.

Foto de Zaida Siqueira

Foto de Zaida Siqueira

Foto de Zaida Siqueira

Foto de Zaida Siqueira

Peça de Caroline Harari

Peça de Caroline Harari

Peça de Caroline Harari

Peça de Caroline Harari

Peça de Caroline Harari

Peça de Caroline Harari

Serviço

Exposição “Utensílio: o espírito das formas”

Local: Museu da Casa Brasileira – Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705, Jardim Paulistano – São Paulo, SP

Data: de 23 de abril até 1 de junho de 2014

Horário: de terça a domingo, das 10h às 18h

Fone: 11 3032 – 3727

www.mcb.obg.br

*O Museu da Casa Brasileira – instituição da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – é parceiro do Living Design para levar o melhor da arte e da arquitetura à população do nosso país. 

Compartilhe:


História da arte moderna no livro “Estilos, escolas e movimentos”

Estilos, escolas & movimentos

A Cosac Naify lançou a nova edição do livro “Estilos, escolas e movimentos”, um guia enciclopédico da arte moderna que traça a história da arte desde o Impressionismo do século 19 até as recentes conquistas da web art. Nesse lançamento, da historiadora da arte Amy Dempsey, foram incluídos os três capítulos inéditos Destination Art, Design Art e Fotografia Artística, além de atualização e revisão de texto.

A publicação percorre 150 anos de produção da pintura, escultura, arquitetura e design no ocidente, com 300 exemplos que servem como uma obra de referência para o entendimento de um período fundamental na história da arte.

São analisados cerca dos 100 mais importantes movimentos da arte moderna, divididor por temática e cronologicamente em cinco grandes blocos: Surgimento das vanguardas (1860 – 1900), Modernismos para um mundo moderno (1900 – 1918), Em busca de uma nova ordem (1918 – 1945), Uma nova desordem (1945 – 1965) e Além das Vanguardas (1965 até os dias de hoje).

Como parte do último grande bloco estão os três novos capítulos inclusos. Destination art apresenta obras que não são vistas em museus, concebidas para serem observadas no local onde estão instaladas, como “No interior da Austrália”, de Antony Gormley e “Campo de raios”, de Walter De Maria .

Design art reúne peças de mobiliário e decoração contemplativas e móveis que são integrantes de galerias de arte, como criações de Jorge Pardo, Liam Gillick, Ron Arad e dos Irmãos Campana.

Já Fotografia Artística explora os tipos de uso das fotos quando consideradas um formato artístico legítimo, por meio imagens clicadas por Tatsumi Orimoto, Cindy Sherman, Jeff Wall e Vik Muniz.

“Escolas, artes e movimentos” também traz 15 décadas em uma linha do tempo impressa em páginas dobráveis, além de temas normalmente menos abordados, como sincronismo, raionismo, vorticismo, preciosismo, elementarismo, Escola de Amsterdã, arte beat, arte funk, sound art e Kitchen Sink School.

Ao final do livro um dicionário fornece definições sintéticas e objetivos para outros duzentos estilos ou grupos, como abstração lírica, arte madí, arte postal, Equipo 57 e Escola de Londres. Completa a obra um índice onomástico que facilita a pesquisa, indicando não apenas os verbetes que integram a enciclopédia, mas também centenas de artistas, arquitetos, designers, galeristas, críticos, colecionadores e patronos da arte moderna.

Serviço

Livro “Estilos, escolas e movimentos – Guia enciclopédico da arte moderna”

Autora: Amy Dempsey

Tradução: Carlos Eugênio Marcondes de Moura

Idioma: Português

Editora: Cosac Naify

Páginas: 312

Valor: R$ 190,00

www.cosacnaify.com.br

Compartilhe:


“Experimentando Espaços 2” ocupa o jardim do MCB

Está em cartaz até o dia 25 de maio, no Museu da Casa Brasileira, a exposição “Experimentando Espaços 2”, que reflete sobre arte, arquitetura, design e paisagismo por meio de obras de 9 artistas brasileiros dispostas no jardim do MCB.

Com curadoria de Agnaldo Farias, a mostra concebida especialmente para a área verde do Museu já foi realizada em 2009 e, dessa vez, traz criações de André Komatsu, Angelo Venosa, Carmela Gross, Daniel Murgel, Genilson Soares, Georgia Kyriakakis, José Rufino, Marcius Galan e Rodrigo Bueno.

Por Rodrigo Bueno

Por Rodrigo Bueno

Por Rodrigo Bueno

Por Rodrigo Bueno

Por Rodrigo Bueno

Por Rodrigo Bueno

“O objetivo dessa edição continua sendo o de apresentar algumas das mais variadas e instigantes experiências espaciais realizadas por nossos artistas”, revela o curador. “Especulando sobre os significados e as formas de ser que as cidades, as paisagem, as arquiteturas, e até mesmo a extensa gama de objetos com quê mobiliamos os espaços domésticos, os artistas, por meio das mais variadas modalidades de suportes expressivos, terminam por reinventar a noção de espaço”.

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Carmela Gross

Por Marcius Galan

Por Marcius Galan

Por Marcius Galan

Por Marcius Galan

Por Daniel Murgel

Por Daniel Murgel

Por Daniel Murgel

Por Daniel Murgel

Serviço

Exposição “Experimentando Espaços 2”

Local: Museu da Casa Brasileira – Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705, Jardim Paulistano – São Paulo, SP

Data: até 25 de maio de 2014

Horário: de terça a domingo, das 10h às 18h

Fone: 11 3032 – 3727

www.mcb.org.br

*O Museu da Casa Brasileira – instituição da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo – é parceiro do Living Design para levar o melhor da arte e da arquitetura à população do nosso país. 

Compartilhe:


“Tiny Tattoos” coloca pequenas tatuagens em belos cenários

O fotógrafo americano Austin Tott desenvolveu a criativa série “Tiny Tattos”, onde pequenas “tatuagens” desenhadas a mão em um pulso são colocadas em cenários que combinam com elas. A bicicleta é pelada pelas ruas de uma grande cidade, os sinais de aspas se perdem entre pilhas de livros, a pequena raposa está no meio das toras de madeira, o barquinho veleja sobre as águas do mapa mundí e a minúscula fechadura busca seu par em meio a diversas chaves.

FOTO 1

FOTO 2

FOTO 3

FOTO 4

FOTO 5

FOTO 7

FOTO 8

FOTO 9

Compartilhe:


Exposição discute relação entre obras únicas e múltiplas

Está em cartaz na Carbono Galeria, em São Paulo, a exposição “Único”. Com curadoria de Paulo Venâncio Filho, a mostra discute a relação entre obras únicas e múltiplas por meio de trabalhos  de 18 artistas.

Para explorar o tema e sugerir uma “perturbação” no conceito de múltiplos, o curador incentivou Afonso Tostes, Ana Linnemann, Carlos Zilio, Celia Euvaldo, David Batchelor, Estela Sokol, Felipe Barbosa, Jorge Molder, Luiza Baldan, Marcello Nitsche, Marcelo Solá, Marco Giannotti, Otavio Schipper, Paulo Monteiro, Rafael Alonso, Rodrigo Andrade, Tatiana Blass e Vânia Mignone a criarem obras em série com pequenas diferenças entre si, da cor à disposição dos elementos.

“Ninguém pretende possuir todos os múltiplos de um múltiplo; e aquele que possui um múltiplo o entende e o aprecia como um único. De modo que a percepção do múltiplo pode variar dependendo dos diversos pontos de vista”, analisa o curador.

Apito, de Tatiana Blass

Apito, de Tatiana Blass

Estacionamento, de Felipe Barbosa

Estacionamento, de Felipe Barbosa

Slugette, de David Batchelor

Slugette, de David Batchelor

Vênus, de Carlos Zilio

Vênus, de Carlos Zilio

Cremerie, de Luiza Baldan

Cremerie, de Luiza Baldan

Serviço

Exposição “Único”

Local: Carbono Galeria – Rua Joaquim Antunes, 59, Pinheiros – São Paulo

Data: até 10 de maio

Horário: segunda a sexta das 10h às 19h, sábados das 11h às 15h

Fone: 11 4564 – 8400

www.carbonogaleria.com.br

Compartilhe: