A WGSN anunciou as tendências de maquiagem para 2016

Ouça abaixo a matéria que foi ao ar no rádio ou clique aqui para fazer o donwload:

 

Centro de informações, bureau de tendências, escritório de inteligência estratégica. O grupo londrino (de alcance global) WGSN é o mais famoso do mundo a colocar juntas todas estas informações que para muita gente ainda são novidade. Diariamente, uma equipe que se divide em 16 escritórios pelo mundo passa o dia observando comportamentos, pesquisando hábitos de consumo, visitando exposições de arte, analisando dados… tudo para ao final chegar a uma conclusão que vai orientar o mercado, como que uma previsão do que será “in” no futuro próximo.

Pois ele acaba de divulgar as quatro macrotendências que vão nortear a maquiagem no verão de 2016. Fique de olho:

1. Past Modern: Com o passado assumindo relevância, os termos “futuro” e “progresso” são interpretados de maneiras diferentes e uma nostalgia paira no ar. Nos cabelos, isto pode ser visto através de uma versão atualizada da Era Eduardiana: os penteados são presos, românticos e com volume. As cores chave desta tendência são o platinado branco e tons de cinza. Para a pele, blushes pêssego e damasco, e para os lábios, tons de nude e roxos.Tendência Past Modern. Foto de James Houston. FOTO 1

Tendência Past Modern. Foto de Philipp Jelenska FOTO 2

Tendência Past Modern. Foto de Soo Joo Park FOTO 32. Eco Active: A história do nosso mundo é ao mesmo tempo natural e artificial,  e estamos cada vez mais buscando um papel ativo na história. Essa tendência apresenta penteados com múltiplas texturas: fios longos e com textura mais grossa, que podem ganhar tons de vermelho. A maquiagem tem uma paleta de cores terrosas com elementos metálicos em bronze e dourado, já os lábios ganham tons avermelhados puxados para o marrom e com acabamento cremoso.

Tendência Eco Active. Foto de David Murrell FOTO 4

Tendência Eco Active. Foto de Miguel Reveriego FOTO 5

Tendência Eco Active. Foto de ND Chow FOTO 63. Soft Pop: Temas lúdicos e emocionais em um mix criativo dos sentidos, que não está restrito a gênero, sexualidade ou etnia. Os cabelos aparecem em texturas suaves, com franjas longas e irregulares, e os penteados ganham acessórios brilhantes e coloridos. O rosa pastel é a cor oficial desta tendência, assim como outras tonalidades candy. As bochechas agora são em tons mais rosados e as unhas ganham design divertido com glitter e esmaltes coloridos.

Tendência Soft Pop. Foto de Gormaynails FOTO 7

Tendência Soft Pop. Foto de Jens Ingvarsson FOTO 8

Tendência Soft Pop. Foto do Pinterest FOTO 94. Deep Summer: A estranha beleza presente no fundo do mar nos lembra as possibilidades fantásticas de ir além dos limites do universo. A atmosfera é efêmera, refinada e sombriamente atraente. O estilo é inspirado pelo movimento do mar, com formas fluídas como as ondulações. A paleta de tonalidades de azuis e verdes vai dominar os cabelos e a maquiagem, que ganhará efeito glossy tanto nos olhos quanto na boca.

Tendência Deep Summer. Foto do Pinterest FOTO 10

Tendência Deep Summer. Make por Stephen Ward FOTO 11

Tendência Deep Summer. Sombra Chanel L'Été Papillon FOTO 12

Compartilhe:


Desafio criativo

Herman Miller

Já não é de hoje que o conceito de trabalho anda se reinventando. Os métodos de gestão já não são mais os mesmos, graças a novas ferramentas e impulsionados principalmente pelas tecnologias que permitem que a gente trabalhe de qualquer lugar. O movimento trouxe mais uma novidade: o Living Office. O conceito, que resulta em um ambiente de trabalho mais natural e desejável, promove maior conexão, criatividade, produtividade e permite que pessoas atuem individualmente dentro de ambientes compartilhados.

Para acomodar as muitas necessidades que surgem desta realidade dinâmica, a marca americana Herman Miller tem pensado em móveis e ambientes inovadores. Considerando a frequência de circulação desses trabalhadores e seus variados modos de trabalho, a empresa acredita que um novo conjunto de soluções para apoiar os indivíduos e seus pertences seja necessário.

A partir disso, propôs o desafio “Designing for the New Office Nomads”, usando a plataforma online da Unbranded Designs. “Acreditamos que há designers talentosos em todo o mundo capazes de fornecer soluções inspiradoras para problemas desafiadores”, diz o vice-presidente de design de produto da Herman Miller, Gary Smith.

As inscrições podem ser feitas até 22 de outubro e o vencedor, escolhido por um júri de especialistas, receberá um prêmio em dinheiro no valor de US$ 10.000 e os royalties do produto que será levado ao mercado pela marca. O vice-campeão ganhará uma cadeira Mirra e o terceiro colocado, banquetas Eames Walnut Stools, ambos da Herman Miller.

Serviço:

Desafio “Designing for the New Office Nomads”

Inscrições: Unbranded Designs 

Data: Até 22 de outubro

hermanmiller.com.br

Compartilhe:


Café-design

cafés

Um senhor de bengala e cartola à espera do trem foi a nostálgica imagem escolhida pela marca Café do Centro para ilustrar sua clássica embalagem. Só que agora a empresa resolveu inovar ao lançar sua linha Cafés Especiais de Origem e confiou esta missão à agência BST! Design.

Pátina, palha, renda, fuxico, chita e ladrilho são as texturas que remetem às regiões do Espírito Santo, Cerrado Mineiro, Bahia, Paraná, Sul de Minas e Mogiana. As estampas refletem as características culturais de cada região produtora e, claro, as texturas de suas fazendas de café.

No pacote do Espírito Santo, por exemplo, a escolhida foi a técnica da pátina, revestimento muito usado para proteger móveis de madeira nas fazendas da região. A renda das roupas das baianas representa o a embalagem da Bahia, enquanto a chita decora o café do sul de Minas.

O design moderniza a marca, agrega valor a seus cafés de origem e, de quebra, oferece um elemento decorativo para qualquer cozinha.

Compartilhe:


Nova vida aos cristais de Murano

Reza a lenda que os cristais feitos na ilha de Murano, em Veneza, Itália, eram segredo de Estado. Ou melhor, de família. A técnica usada para moldá-los não podia sair da ilha e quem se atrevesse a tentar sair de lá, digamos assim, não voltava.

Venice in a bottle 1

Os vidros assoprados ali em delicadas variações de nuances ainda encantam o mundo e se tornaram um símbolo da cidade mais romântica do mundo. Agora, um grupo de jovens e talentosos consultores de arte revisitou este artesanato e deu a ele um toque contemporâneo. Francesca Giubilei, Luca Berta, Francesco Misserotti e Silvano Rubino criaram juntos o projeto “Venice in a Bottle”, uma galeria/loja de souvenir com obras de artistas e objetos à venda. É o caso das garrafas PET cheias de pó de vidro colorido. O pó resulta do processo de fabricação dos vidros e pode ser usado como elemento decorativo. Eles vendem ainda rochas de vidro em formato mais rústico, não moldadas.

Venice in a bottle 3

“O vidro captura a essência de Veneza, sua luz e sua infindável beleza. Encorajar artistas a experimentar este material é dar chance ao artesanato de Murano de ir além da reprodução das formas artísticas herdadas do passado”, diz Francesca Giubilei, que começou o projeto com Luca no começo do ano, quando eles perderam o emprego. “Resolvemos usar nossa rede de contatos e nossas habilidades técnicas nisto. Sempre que um artista ou designer quer criar algo com vidro, os colocamos em contato com os artesãos de Murano, assim, os produtos conseguem tem alta qualidade e baixo custo”, resume. O site do projeto ainda está em construção, mas vale ficar de olho.

Venice in a bottle 2

Compartilhe:


O assunto da semana de moda: o desfile 4D de Ralph Lauren

“Era uma miragem, um milagre ou magia tecnológica este desfile que aconteceu sobre as  águas do lago central do Central Park, em Nova York?”, se perguntava a todo-poderosa da moda Suzy Menkes, que depois de décadas à frente do caderno Style do jornal The New York Times, está desde o começo deste ano na revista Vogue. E olha que impressionar Suzy é difícil: ela já viu de tudo em termos de criações fashion e, claro, de cenografias. Mas a Polo Ralph Lauren conseguiu.

O cenário 4D do desfile de Ralph Lauren 3

O desfile de sua coleção primavera-verão 2015, que aconteceu na primeira semana de setembro exibia projeções holográficas em quatro dimensões, com as modelos rodopiando seus looks coloridos e esportivos pela ponte do Brooklyn, pelas ruas do Soho e até por um farol. “Lançamos uma forma que nunca se viu de desfile de moda,  combinamos a melhor tecnologia para criar uma experiência cinematográfica em que cinco modelos literalmente andaram sobre as águas”, disse David Lauren, vice-presidente executivo de comunicação da marca e filho de Ralph.

O cenário 4D do desfile de Ralph Lauren 2

Para o impressionante resultado, a grife contratou produtores-executivos, designers e pesquisadores de tecnologia. “A tecnologia neste projeto foi desafiadora porque quando se fala em andar sobre as águas você lida com um elemento natural: as águas se movem. E ainda tem as modelos interagindo com isso”, diz Tim Dillon, produtor-executivo encarregado do show.

O cenário 4D do desfile de Ralph Lauren 5

As etapas de criação começaram com o rascunho dos edifícios, que depois foram moldados em três dimensões. Depois, foram desenhadas falsas modelos desfilando pelo cenário. Por fim, as modelos reais foram filmadas em um estúdio e projetadas por cima das de mentira. “Foram 10.500 cenas para 10 minutos de desfile. Levamos dois dias para montar tudo”, explica Tim Dillon.

cenário 4D do desfile de Ralph Lauren 8

Para a exibição, foi montado um telão no parque com mais de 18 metros de altura e 45 metros de largura. Quer saber mais? Veja abaixo o making of dessa surpreendente cenografia. E na sequencia o desfile:

Compartilhe: