Com essa inovação do GekkoPod, pau de selfie já é coisa do passado

Estes divertidos apetrechos de plástico colorido são obras do estúdio de design Gal & Boaz Zucker e se chamam GekkoPod. É como um tripé dos tempos modernos, só que bem mais flexível, leve e fácil de transportar.

Como tem cinco pontas maleáveis, ele se adapta a smartphones, câmeras fotográficas, GoPros, “agarrando” o aparelho e fixando-o onde você quiser: no carro, na bike, em um poste, no mastro de um barco, em uma árvore e até em uma rede de vôlei (!). Seus retratos nunca mais serão os mesmos.

A campanha para viabilizar o GekkoPod está no Kickstarter, e se quiser ajudar, clique aqui.

GekkoPod 2

Gekko Pod 3

Gekko Pod 4

Gekko Pod 5

Gekko Pod

Gekko Pod 6

Compartilhe:


Ajude a promover um encontro feito por estudantes, para estudantes

O logo do evento

O Encontro Nacional de Estudantes de Design (N Design) é um evento anual itinerante, sem fins lucrativos, que promove a integração e o compartilhamento de ideias e habilidades, entre estudantes, acadêmicos e profissionais da área de Design de todo o país. Superbacana, não é? Por isso, o Living Design apoia.

Ele chega à sua 25ª edição e vai acontecer em São Paulo este ano, mas sua participação é fundamental. É que o projeto está no site de crowdfunding Catarse. Corre lá para  saber mais e ajudar, clicando aqui.

Compartilhe:


A Projetar.org realiza seu primeiro concurso de design gráfico

Design Para Todos

Estudantes, fiquem de olho! O portal Projetar.org, que promove concursos online superbacanas, com o apoio do Living Design, acaba de lançar sua primeira premiação voltada ao design gráfico.

A proposta é que universitários das áreas de design, comunicação, artes e arquitetura desenvolvam um cartaz sobre o tema “Design para Todos”. A temática remete ao conceito de “design for all”, que busca um design universal ou que promova um acesso irrestrito e democrático dos indivíduos a produtos, espaços e serviços – públicos e privados.

Estendendo a discussão ao âmbito do design gráfico, trata-se de elaborar mensagens visuais que sejam compreendidas por todas as pessoas, independentemente de idade, gênero, capacidade ou cultura. Democratizar a comunicação, colocá-la ao acesso de todos, gerar possibilidades de interação amplamente acessíveis, escolher formas e conteúdos que sejam capazes de se comunicar com qualquer pessoa: estes são alguns dos desafios do tema.

Serviço:

“Design para Todos”, concurso de cartazes do Projetar.org

Inscrições: até 15 de junho de 2015, pelo site

projetar.org

Compartilhe:


A madeira super-resistente da Alcantara em mostra na Expo 2015

Alcantara 3

Em meio a todas as atrações da Expo Milano 2015, a Alcantara, companhia italiana de desenvolvimento de tecidos e outras matérias-primas, promove a mostra “Alcantara, Technology of Dreams”, no Palazzo Reale. Mais especificamente no Apartamento do Príncipe, dentro do palácio histórico milanês.

Alcantara 8

Aqui, sonho e realidade de misturam, assim como o concreto e a imaginação. Para transmitir esse conceito, a empresa chamou o estúdio de design japonês Nemo, que criou cadeiras e mesa com uma madeira extremamente resistente, a madeira-Alcantara. Ela tem como característica principal evitar o desgaste das bordas, mesmo quando é serrada.

Alcantara 4

Os criativos japoneses usaram camadas do material em diferentes cores e as cortaram, também, em camadas para criar esse efeito patinado. A madeira pode ser usada para acabamentos de piso e móveis, trazendo uma imagem tridimensional a eles.

Alcantara 9

Alcantara 5

Alcantara 6

*Fotos: Akihiro Yoshida

Compartilhe:


O que esperar da Bienal Brasileira de Design, que está acontecendo em Floripa

Bienal Design 9

O Living Design esteve na Bienal Brasileira de Design 2015 – que acontece este em Florianópolis – e conta aqui o que você pode esperar deste evento, que contempla sete exposições, um seminário internacional e ações educativas em torno do conceito “Design para Todos”. O objetivo é mostrar projetos que atendem a todas as pessoas, independentemente de idade, gênero, classe social ou escolaridade, dentro do chamado design acessível ou design universal.

“É um tema muito pertinente, pois há muito tempo nós, designers, tentamos desmistificar a ideia de que design é para poucos. A palavra é estrangeira, então isso dava esta impressão. Mas na verdade, o design sempre existiu”, contou ao Living Design o curador da Bienal, Freddy Van Camp, em uma visita exclusiva pelo evento. E ele explicou a divisão da temática em três vertentes:

Bienal Design 15

Design democrático: é adequado a todas as parcelas da população, e em qualquer situação. Aqui estão objetos cotidianos. “Trouxemos até talheres que se encontram nas lojas Americanas”, disse Freddy. O visitante tem que entender que isso também é design. Selecionamos produtos feitos nos últimos quatro anos. Esta seção tem produtos mais populares, de plástico, até.

Bienal Design 6Design público: quem compra é o prefeito, o dono de uma empresa. Tem um uso muito abrangente, mas com a contribuição do design. Ele melhora a função de sinalizações de metrô e abrigos de ônibus, por exemplo. Nesta sala, projeções vão mostrar estes projetos.
Bienal Design 7Design para público com necessidades especiais: é um público que está aumentando, principalmente em função dos idosos, mas também de diferentes deficiências físicas. É uma população muito diversa e nossa pesquisa abrangeu produtos de norte a sul do país, para que fosse um setor muito representativo.

Por fim, o curador mostrou um pequeno espaço dedicado ao design participativo: “tentamos incluir grupos de artesãos ou comunidades que fazem um trabalho específico. A ideia é mostrar que o design e o artesanato podem – e devem – coexistir”, falou. Já Sergio Luiz Gargioni, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FIESC) abordou outro ponto importante na cerimônia de abertura da Bienal: “Pesquisa e tecnologia andam junto com design. E este tem que ser aberto para sempre procurar novas soluções. O Brasil ainda está atrás de muitos países, mas estamos recuperando”, conclui.

Bienal Design 21

A programação está intensa. Das mostras “Design Participativo – coletivos criativos” à “Design Holandês no Palácio do Povo”, passando pela “Design Catarina” e pela exposição principal: “Design para todos – Para uma vida melhor”. Nesta, estão representados exemplos de design gráfico, embalagens, ambientes e serviços, além de projetos de todas as regiões do país, o que contempla também projetos artesanais. Dentre os destaques estão o carro UP!, da Volkswagen, criado na Alemanha por uma equipe 100% brasileira, equipamentos médicos (como um andador que parece um velocípede, projetado para crianças com paralisia cerebral) e abrigos de ônibus assinados por Guto Índio da Costa.

Bienal Design 22

Outra estrela da Bienal é a madeira. “O design brasileiro a redescobriu como um material interessante, pois é possível trabalhá-lo com maquinários simples, o que permite que os designers se tornem os próprios produtores”, explicou Freddy Van Camp. A facilidade para se encontrar madeiras de reflorestamento e as técnicas artesanais que não necessariamente demandam alta tecnologia são outros fatores que a trazem ao centro das atenções e a uma das áreas mais bonitas da Bienal.

Bienal Design 11

Bienal Design 14

Bienal Design 20

Bienal Design 23

Serviço:

Bienal Brasileira de Design 2015 Floripa

Local: Centro Integrado de Cultura do Museu de Arte de Santa Catarina  – Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600 – Florianópolis/SC

Data: De 15 de maio a 12 de julho de 2015

Horário: De terça a sábado, das 10h às 20h30. Aos domingos e feriados, das 10h às 19h30

bienalbrasileiradedesign.com.br

*Fotos: Sandra Puente

 

Compartilhe: